Publicado em

Dário Bastos

Dário BastosDário Bastos (1903-1991).  Poeta e contista. Frequentou a instrução primária na escola mandada construir com o legado do Conde de Ferreira. Portugal, jovem República, vivia tempos de uma profunda crise económica que o obrigou a partir para o Brasil à procura de uma vida mais desafogada: primeiro na cidade de Belmonte, onde tomou contacto com a dura labuta da produção do Cacau, depois, em 1918, no Rio de Janeiro onde foi empregado no comércio. Começava aí uma vida de luta assumida contra a exploração do homem. Desiludido e acreditando que, afinal, poderia ser alguém no seu país, Dário Bastos regressou a Portugal em 1927. Deu então início a uma carreira (a de caixeiro-viajanete) que havia de executar a vida inteira. Da sua bibliografia destacam-se as obras: Musa Itinerante (1960); Realidades e Fantasias (1964); Rua (1968), Saltimbancos (1970).