Príncipes de Portugal

«Aquilino Ribeiro olhou para esses grands de Portugal e pintou-os, como Velasquez fazia, com as tintas do arco-iris. Tais como eram, Melhor, tais como lhe pareceram. Sem deixarem de ser a obra do historiador, escreveu estes perfis o novelista.»

«Mestre Aquilino Ribeiro aceitou o encargo de compor a vida duns tantos portugueses, príncipes, reinantes ou apenas caudilhos, que deixaram na história mais que uma passagem meteórica (…) O critério dele foi o do romancista: interessou-lhe tudo o que não é comum. Para a história, de resto, não há apenas ouro, há também o oricalco. Aquilino Ribeiro olhou para esses grandes de Portugal e pintou-os, como Velasquez fazia, com as tintas do arco-íris. Tais como eram. Melhor, tais como lhe pareceram. Sem deixarem de ser a obra do historiador, escreveu estes perfis o novelista.»

25,00 

informação do livro

Título: Príncipes de Portugal
Autor: Aquilino Ribeiro
Edição: Livros do Brasil
Ano: 1952 [?]
Páginas: 228
Encadernação: Dura
Capa: Cândido Costa Pinto

Alfarrabista

 

1ª Edição. Assinatura de posse

Aquilino Gomes Ribeiro (Tabosa do Carregal, Sernancelhe, Viseu, 13 de setembro de 1885 — Lisboa, 27 de maio de 1963) foi um escritor português.

É considerado por alguns como um dos romancistas mais fecundos da primeira metade do século XX. Iniciou a sua obra em 1907 com o folhetim A Filha do Jardineiro e depois 1913 com os contos de Jardim das Tormentas e com o romance A Via Sinuosa, 1918, e mantém a qualidade literária na maioria dos seus textos, publicados com regularidade e êxito junto do público e da crítica


«Mestre Aquilino Ribeiro aceitou o encargo de compor a vida duns tantos portugueses, príncipes, reinantes ou apenas caudilhos, que deixaram na história mais que uma passagem meteórica (…) O critério dele foi o do romancista: interessou-lhe tudo o que não é comum. Para a história, de resto, não há apenas ouro, há também o oricalco. Aquilino Ribeiro olhou para esses grandes de Portugal e pintou-os, como Velasquez fazia, com as tintas do arco-íris. Tais como eram. Melhor, tais como lhe pareceram. Sem deixarem de ser a obra do historiador, escreveu estes perfis o novelista.»

Peso 300 g

sugestões do alfarrabista

0
    0
    Carrinho
    Carrinho VazioRegressar à Loja