Inquisição e Cristão-Novos

António José Saraiva

Indisponível

Título: Inquisição e Cristão-Novos
Autor: António José Saraiva
Edição: Inova
Colecção | Nº: Civilização Portuguesa | 2
Ano: 1969
Páginas: 319
Encadernação: Mole
Capa: Armando Alves

SOBRE
«Alguns autores parecem dar como cousa óbvia a justiça, imparcialidade e isenção dos juízes inquisitoriais, e como fundamentadas, salvo prova em contrário, as acusações que constam das sentenças. […] É esta uma presunção temerária, porque o processo inquisitorial, como veremos, era secreto, sem apelo, e deixava nas mãos dos inquisidores o poder praticamente absoluto e arbitrário de condenar ou absolver. E por outro lado o Tribunal do Santo Ofício, que vivia sobre os bens confiscados dos réus e a quem convinha demonstrar que o Judaísmo se multiplicava, era parte interessada nos processos.»


SOBRE O AUTOR

António José SaraivaAntónio José Saraiva (31 de Dezembreo de 1917 – 17 de Março de 1993). Ensaísta, Investigador e Crítico Literário. Licenciou-se com um Ensaio Sobre a Poesia de Bernardim Ribeiro , apresentado na Faculdade de Letras de Lisboa, em 1938, tendo-se doutorado na mesma faculdade, em 1942, com uma tese sobre Gil Vicente e o Fim do Teatro Medieval. Afastado da docência universitária por incompatibilidade com o sistema pedagógico e ideológico em vigor, foi professor do ensino secundário.  Da sua bibliografia destacam-se as obras: Estética dos Autos de Devoção (1937); Para a História da Cultura em Portugal (1946); História da literatura portuguesa (1955); A Cultura em Portugal (1983).

 


OBRAS DO AUTOR


RELACIONADOS


Voltar