Hora di Bai

Hora di Bai de Margarida Fernandes

“A autora propõe-se estudar, do ponto de vista antropológico, a relação dos cabo-verdianos com a morte, servindo-se, embora não exclusivamente, do que a esse propósito a literatura cabo-verdiana registou. Completou a informação colhida nestes termos com a que pôde recolher através de entrevistas não estruturadas. Este facto, só por si, denota que a principal preocupação de Margarida Fernandes era, pois, o estudo do posicionamento do cabo-verdiano perante a morte e que a literatura, na prossecução deste objectivo, apenas teve valor instrumental. Na sequência desta verificação, apraz-me realçar aquele que me parece ser o aspecto mais original do livro, que é, precisamente, o da transformação da literatura em documento etnográfico.”

7,50 

informação do livro

Hora di Bai: Os Cabo-Verdianos e a Morte – Uma Abordagem Antropológica Através da Literatura de Ficção de Margarida Fernandes. Nova Vega. 2004, 143 págs. Mole

Sem apontamentos.

“A autora propõe-se estudar, do ponto de vista antropológico, a relação dos cabo-verdianos com a morte, servindo-se, embora não exclusivamente, do que a esse propósito a literatura cabo-verdiana registou. Completou a informação colhida nestes termos com a que pôde recolher através de entrevistas não estruturadas. Este facto, só por si, denota que a principal preocupação de Margarida Fernandes era, pois, o estudo do posicionamento do cabo-verdiano perante a morte e que a literatura, na prossecução deste objectivo, apenas teve valor instrumental. Na sequência desta verificação, apraz-me realçar aquele que me parece ser o aspecto mais original do livro, que é, precisamente, o da transformação da literatura em documento etnográfico.”

Peso 185 g

sugestões do alfarrabista

0
    0
    Carrinho
    Carrinho VazioRegressar à Loja