Eterno e Efémero

Jorge Guimarães

Indisponível

Título: Eterno e Efémero
Autor: Jorge Guimarães
Edição: Arcádia
Ano: 1982
Páginas: 93
Encadernação: Mole
Capa: Gina Martins Calado

SOBRE
Falar de poetas e de poesia apresenta tantos riscos que ao ser convidado a prefaciar o presente volume de poemas, «Eterno e Efémero», escritos por Jorge Guima rães no ano de 1977, precisamente o ano em que tomei conhecimento, mais detidamente, da sua obra, pensei, num primeiro momento, esquivar-me a tamanha responsabili dade. No momento seguinte, porém, estava aceitando, com a mansa loucura de quem, sem brevet, aceita pilotar um avião. Falar de poetas e de poesia é, no fundo, tão impos sível como traduzir o silêncio em palavras, t?o arrogante (por vezes tão irremediável) como abrir a máquina foto gráfica à luz do sol para lhe descobrir o segredo interior, desvendando talvez a mecânica, mas destruindo a camada sensivel onde se escondem as imagens, ou ainda, por ou tras palavras, tão grosseiramente expedito como telegrafar em Morse o perfume de uma rosa ou o suspiro de uma amante. Pior do que isso: é transformar a mesma matéria de que são feitas as visões proféticas numa prosaica noti- cia de jornal.


OBRAS DO AUTOR


RELACIONADOS


Voltar