Estes e Aqueles

Colecção de «historietas», «Uns e Outros» vem revelar um autor vivo, irónico ou sarcástico, mas sempre senhor absoluto da dificilima e rara técnica do contar com humor e facilidade. Autor desconhecido e já maduro, Jorge da Costa merece ser lido. É a forma – clara, leve, graciosa – e é, sobretudo, a calma apropriação de temas comuns que o autor torna seus que o impõem como companheiro afectuoso, crítico, compreensivo, inteligente.

A sua visão, profunda apesar do propósito patente de simplicidade e fluência, transforma estas páginas num agradável contacto com figuras, ambientes e factos de todos os dias num conjunto a um tempo saudável e útil. Desanuviado e apreensivo, sorridente e preocupado com o próprio fluir do que escreve, Jorge da Costa «agarra» os temas (grandes temas de pequeninas histórias) e devolve-os dissecados e «prontos para consumo» um consumo que dificilmente se poderá qualificar de vão. No todo, um livro soalheiro, tecido de intimidade, coalhado de finissimo humor. Edição da Livraria Portugal.

7,00 

7,00 

informação do livro

Estes e Aqueles de Jorge da Costa. Tipografia Henrique Torres. Lisboa, 1976, 180 págs. Mole.

Alfarrabista


[Assinatura de posse]

Colecção de «historietas», «Uns e Outros» vem revelar um autor vivo, irónico ou sarcástico, mas sempre senhor absoluto da dificilima e rara técnica do contar com humor e facilidade. Autor desconhecido e já maduro, Jorge da Costa merece ser lido. É a forma – clara, leve, graciosa – e é, sobretudo, a calma apropriação de temas comuns que o autor torna seus que o impõem como companheiro afectuoso, crítico, compreensivo, inteligente.

A sua visão, profunda apesar do propósito patente de simplicidade e fluência, transforma estas páginas num agradável contacto com figuras, ambientes e factos de todos os dias num conjunto a um tempo saudável e útil. Desanuviado e apreensivo, sorridente e preocupado com o próprio fluir do que escreve, Jorge da Costa «agarra» os temas (grandes temas de pequeninas histórias) e devolve-os dissecados e «prontos para consumo» um consumo que dificilmente se poderá qualificar de vão. No todo, um livro soalheiro, tecido de intimidade, coalhado de finissimo humor. Edição da Livraria Portugal.

Peso 205 g

sugestões do alfarrabista

0
    0
    Carrinho
    Carrinho VazioRegressar à Loja