Dores do Mundo

Artur Schopenhauer

Indisponível

Título: Dores do Mundo
Autor: Artur Schopenhauer
Edição: Empresa Literária Fluminense
Colecção | Nº: Biblioteca de Sciências Contemporâneas | II
Ano: s.d.
Páginas: 215
Encadernação: Mole
Tradução: Albino Forjaz Sampaio

Categoria: Etiqueta:

SOBRE
Considerada Uma Das Obras Clássicas Da Filosofia Alemã, As Dores Do Mundo Apresenta Uma Série De Reflexões Sobre A Existência, Propondo Uma Nova Forma De Se Pensar A Dor E A Felicidade. Temas Como O Amor, A Morte, A Arte, A Moral, A Religião, A Política, O Homem E A Sociedade Ilustram A Teoria Exposta Por Schopenhauer Na Presente Obra. Indicada A Todos Os Estudiosos E Pensadores Da Conduta Humana, Quer Ligados Às Áreas Da Própria Filosofia, Da Sociologia, Da Religião, Como A Profissionais De Toda E Qualquer Área Em Que Se Faça Necessário O Entendimento Dos Meandros Que Constituem A Base Do Comportamento Humano. O Filósofo Traz Reflexões Sobre A Existência, Cuja Finalidade, Segundo Ele, Seria A Própria Dor, Constituindo-Se O Mundo Num Lugar De Expiação. Para Schopenhauer, Faz-Se Necessário Refutar As Premissas Estabelecidas Pelos Sistemas Metafísicos Que Entendem O Mal Como Algo Negativo. Pois, Do Seu Ponto De Vista, Ao Contrário Do Bem, O Mal É Que Deve Ser Considerado Positivo, Uma Vez Que Somente Ele Se Faz, De Fato, Sentir. O Autor Tece Aqui Suas Considerações Fundamentando-Se Na Teoria De Que “”O Bem, A Felicidade, A Satisfação São Negativos Porque Não Fazem Senão Suprimir Um Desejo E Terminar Um Desgosto (…), Em Geral, Achamos As Alegrias Abaixo Da Nossa Expectativa, Ao Passo Que As Dores A Excedem Sobremaneira.


SOBRE O AUTOR

Arthur SchopenhauerArthur Schopenhauer (1788-1860). Filósofo Alemão. Da sua bibliografia destacam-se as obras: Sobre a Visão e as Cores (1815); O Mundo como Vontade e Representação (1819); Os Dois Problemas Fundamentais da Ética (1841); Parerga e Paralipomena (1851).

 

 

 


OBRAS DO AUTOR


RELACIONADOS


Voltar