De Inutilitate Conscientiae

«Talvez não me devesse importar que fosse um velho gordo a prestar-me esse serviço de me romper. Poderia ser cuidadoso, sem o vigor de ímpetos juvenis. Mas preferiria um jovem amável, nunca um qualquer debochado.»

De Inutilitate Conscientiae de Sérgio de Sousa

Crescemos num mundo que pretendia perspectivar-se a longo prazo ali cercando-se com segurança, evoluindo previsivelmente, onde cada um julgava conhecer a sua situação pessoal no futuro. E de repente achamo-nos a viver numa sociedade ocupada a responder às contingências do dia presente, agilizada para ganhos imediatos, ou a muito curto prazo, sem capacidade para avaliar as consequências futuras daí decorrentes, não dispondo de tempo, nem estando interessada em ponderar nisso.

5,00 

informação do livro

Título: De Inutilitate Conscientiae
Autor: Sérgio de Sousa
Edição: Leitor
Ano: 2009
Páginas: 203
Encadernação: Mole
Depósito Legal: 296271/09
ISBN: 978-989-95738-7-1

Edição Numerada 278.

Crescemos num mundo que pretendia perspectivar-se a longo prazo ali cercando-se com segurança, evoluindo previsivelmente, onde cada um julgava conhecer a sua situação pessoal no futuro. E de repente achamo-nos a viver numa sociedade ocupada a responder às contingências do dia presente, agilizada para ganhos imediatos, ou a muito curto prazo, sem capacidade para avaliar as consequências futuras daí decorrentes, não dispondo de tempo, nem estando interessada em ponderar nisso.

Peso 305 g

sugestões do alfarrabista

0
    0
    Carrinho
    Carrinho VazioRegressar à Loja