Crónicas de Um Portuense Arrependido

Porto ausente, Porto presente. Da memória e da reinvenção, do regresso quarenta longos anos adiados. Recordações, fantasias, emoções, arrependimentos envelhecidos nos tonéis paulatinos do tempo e da distância. Ou talvez não. Do que a memória se ocupa é do presente, do passado que irrompe em presente. Através de crónicas e contos, é toda uma galeria humana que sai da sombra, rica na diversidade de modos de ser e de estar, exuberante na profusão de figuras típicas da sociedade nortenha da primeira metade do século – o burguês portuense autêntico, o oficial do exército, o louco e o semi louco, o excêntrico e o boémio, o parisiano, o aristocrata que concilia requinte e ousadia. Sobre eles deixa Albano Estrela passear o seu olhar perspicaz e irónico, atento aos outros como a si próprio, com a mesma sensibilidade e elegência que contagia a sua escrita.

7,00 

7,00 

informação do livro

Crónicas de Um Portuense Arrependido de Albano Estrela. Editorial Presença. Lisboa, 1997, 159 págs. Mole.

Alfarrabista

 

Sem apontamentos

Albano Estrela nasceu no Porto em 1933. Licenciou-se em Coimbra em ciências histórico-filosóficas e doutorou-se em Ciências da Educação na Universidade de Caen, França. É professor catedrático jubilado da Universidade de Lisboa e autor de uma obra variada naquela área do conhecimento.


Porto ausente, Porto presente. Da memória e da reinvenção, do regresso quarenta longos anos adiados. Recordações, fantasias, emoções, arrependimentos envelhecidos nos tonéis paulatinos do tempo e da distância. Ou talvez não. Do que a memória se ocupa é do presente, do passado que irrompe em presente. Através de crónicas e contos, é toda uma galeria humana que sai da sombra, rica na diversidade de modos de ser e de estar, exuberante na profusão de figuras típicas da sociedade nortenha da primeira metade do século – o burguês portuense autêntico, o oficial do exército, o louco e o semi louco, o excêntrico e o boémio, o parisiano, o aristocrata que concilia requinte e ousadia. Sobre eles deixa Albano Estrela passear o seu olhar perspicaz e irónico, atento aos outros como a si próprio, com a mesma sensibilidade e elegência que contagia a sua escrita.

Peso 325 g

sugestões do alfarrabista

0
    0
    Carrinho
    Carrinho VazioRegressar à Loja