Coitas de Amor

Coitas de Amor de Magnus Bergstrom

O Tempo, sempre a fugir, sobre ruínas, vitórias e benções de santidade, conseguiu construir o monumento que aos homens indica o Passado, com as suas misérias e grandezas, – a História. Nas páginas desta ficam estampadas as tempestadas da alma humana, desde a ambição de glória que foi vertigem, até àquelas alucinadas paixões que, transformadas em lágrimas de saudade, orvalham as velhas campas do Amor.

10,00 

informação do livro

Coitas de Amor de Magnus Bergstrom. Empresa Nacional de Publicidade. Lisboa, 1937, 200 págs. Mole.

Alfarrabista


Sem apontamentos.

O Tempo, sempre a fugir, sobre ruínas, vitórias e benções de santidade, conseguiu construir o monumento que aos homens indica o Passado, com as suas misérias e grandezas, – a História. Nas páginas desta ficam estampadas as tempestadas da alma humana, desde a ambição de glória que foi vertigem, até àquelas alucinadas paixões que, transformadas em lágrimas de saudade, orvalham as velhas campas do Amor.

Peso 301 g

sugestões do alfarrabista

0
    0
    Carrinho
    Carrinho VazioRegressar à Loja