Café Central

Lê-se no «Roteiro da Literatura Portuguesa», de Ilídio Rocha, que Álvaro Guerra, “Numa fase mais recente da sua obra — o ciclo dos «Cafés» —, abandonou de modo deliberado um certo experimentalismo que caracterizara o período anterior da sua produção para frontalmente adoptar formas tradicionais da narrativa, num meio termo entre a crónica romanceada e o folhetim oitocentista, utilizando mesmo, no que respeita a este último género, as virtualidades que ele tem para concentradamente abranger largas sucessões cronológicas de acontecimentos, aliás mais «ecoados» que directamente «vividos».”

10,00 

10,00 

informação do livro

Café Central: Folhetim do mundo vivio em Vila Velha (1945-1974) de Álvaro Guerra. O Jornal.

[1ª Edição. Dedicatória de oferta]

Lê-se no «Roteiro da Literatura Portuguesa», de Ilídio Rocha, que Álvaro Guerra, “Numa fase mais recente da sua obra — o ciclo dos «Cafés» —, abandonou de modo deliberado um certo experimentalismo que caracterizara o período anterior da sua produção para frontalmente adoptar formas tradicionais da narrativa, num meio termo entre a crónica romanceada e o folhetim oitocentista, utilizando mesmo, no que respeita a este último género, as virtualidades que ele tem para concentradamente abranger largas sucessões cronológicas de acontecimentos, aliás mais «ecoados» que directamente «vividos».”

Peso 475 g

sugestões do alfarrabista

0
    0
    Carrinho
    Carrinho VazioRegressar à Loja