Boca do Inferno

«Para ter graça, antes de dar graça, é preciso ver graça. RAP tem esse poder de observação a tal ponto que consegue reproduzir fisica e verbalmente o que observa. […] Estas crónicas -a maneira como estão escritas; a coragem da transparência narrativa; a inteligência de deixar as coisas e as pessoas falharem e espalharem-se ao comprido por si próprias – mostram que não é pelo humor puro que a escrita de Ricardo Araújo Pereira se vai ficar. Riam-se agora enquanto podem, que a coisa ameaça tornar-se muito mais engraçada dentro em breve.» Miguel Esteves Cardoso

Boca do Inferno é uma composição de peças humorísticas com a assinatura inconfundível de Ricardo Araújo Pereira. Das crónicas que pervertem os assuntos mais banais às que colocam na berlinda políticos de ponta, o traço comum é uma ironia certeira, um olhar sempre inesperado, que nos surpreende de cada vez que julgamos nada mais haver para inventar.
No Posfácio Relativamente Interessantíssimo, de Manuel Rosado Baptista, pode ler-se: “Falar deste conjunto de crónicas de Ricardo de Araújo Pereira é, acima de tudo, perder tempo. Nada se poderá dizer delas que o leitor não descubra logo à primeira leitura – ou ainda antes. No entanto, poucas coisas serão mais estimulantes para os ociosos do que uma tarefa fácil.”

6,00 

6,00 

informação do livro

Boca do Inferno de Ricardo Araújo Pereira. Tinta da China. Lisboa, 2007, 294 págs. Mole.

Alfarrabista

 

Sem apontamentos

Boca do Inferno é uma composição de peças humorísticas com a assinatura inconfundível de Ricardo Araújo Pereira. Das crónicas que pervertem os assuntos mais banais às que colocam na berlinda políticos de ponta, o traço comum é uma ironia certeira, um olhar sempre inesperado, que nos surpreende de cada vez que julgamos nada mais haver para inventar.
No Posfácio Relativamente Interessantíssimo, de Manuel Rosado Baptista, pode ler-se: “Falar deste conjunto de crónicas de Ricardo de Araújo Pereira é, acima de tudo, perder tempo. Nada se poderá dizer delas que o leitor não descubra logo à primeira leitura – ou ainda antes. No entanto, poucas coisas serão mais estimulantes para os ociosos do que uma tarefa fácil.”

Peso 450 g

sugestões do alfarrabista

0
    0
    Carrinho
    Carrinho VazioRegressar à Loja