Saudades de Menina e Moça

Penetrar no texto literário de Menina e moça é percorrer um caminho já muitas vezes percorrido. É viajar para o passado. E, se o distanciamento no tempo dificulta a penetração, mais extenuante se torna esta pelo desejo de encontrar o novo, pelo querer afastar-se das trilhas interpretativas já construídas e sedimentadas durante séculos e, principalmente, pela vontade de entender a natureza especial desse texto que se recusa a admitir certezas.
Este caminhar para o século XVI é dirigido, no entanto, pelo presente histórico desta leitora do século XX. É o momento actual construtor de um tipo especial de paradigma aliado a uma sensibilidade individual que se vai impor no sentido de examinar os elementos particulares de Menina e moça. Três categorias são isoladas para análise: a natureza especial dos elementos que constituem esse texto literário, a apreciação da crítica que durante séculos se empenhou em decifrar os traços particulares da obra e a delimitação do espaço que um autor, sob o nome de Bernardim Ribeiro, deu à mulher em sua novela.

7,50 

7,50 

informação do livro

As Saudades da “Menina e Moça” de Izabel Margato. Imprensa Nacional Casa da Moeda. Lisboa, 1987, 114 págs. Brochado.

Alfarrabista

 

Sem apontamentos

Penetrar no texto literário de Menina e moça é percorrer um caminho já muitas vezes percorrido. É viajar para o passado. E, se o distanciamento no tempo dificulta a penetração, mais extenuante se torna esta pelo desejo de encontrar o novo, pelo querer afastar-se das trilhas interpretativas já construídas e sedimentadas durante séculos e, principalmente, pela vontade de entender a natureza especial desse texto que se recusa a admitir certezas.
Este caminhar para o século XVI é dirigido, no entanto, pelo presente histórico desta leitora do século XX. É o momento actual construtor de um tipo especial de paradigma aliado a uma sensibilidade individual que se vai impor no sentido de examinar os elementos particulares de Menina e moça. Três categorias são isoladas para análise: a natureza especial dos elementos que constituem esse texto literário, a apreciação da crítica que durante séculos se empenhou em decifrar os traços particulares da obra e a delimitação do espaço que um autor, sob o nome de Bernardim Ribeiro, deu à mulher em sua novela.

Peso 210 g

sugestões do alfarrabista

0
    0
    Carrinho
    Carrinho VazioRegressar à Loja