«E foste para mim uma desconhecida!
Tantos annos vivi longe da tua imagem,
ignorando o perfume, o gosto, a côr selvagem
da tua alma de flôr, do teu corpo de fruta.»

Guilherme de Andrade Almeida (1890-1969) foi um poeta brasileiro. O primeiro modernista a frequentar a Academia Brasileira de Letras. Ocupou a cadeira n.º 15. Era membro da Academia Paulista de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, do Instituto de Coimbra e do Seminário de Estudos Galegos de Santiago de Compostela. Foi também advogado, jornalista e tradutor.

Guilherme de Andrade e Almeida nasceu em Campinas, São Paulo, no dia 24 de julho de 1890. Filho de Estevam de Almeida, jurista e professor de Direito, e de Angelina de Andrade cursou Direito de São Paulo, onde se formou em 1912.

Ingressou no jornalismo literário. Foi redator do jornal O Estado de São Paulo e do Diário de São Paulo. Foi diretor da Folha da Manhã e da Folha da Noite.

10,00 

informação do livro

Acaso de Guilherme de Almeida. Comissão Editora Nacional. São Paulo, 1938, 152 págs. Mole.

1ª Edição. Numerada: 167.

Guilherme de Andrade Almeida (1890-1969) foi um poeta brasileiro. O primeiro modernista a frequentar a Academia Brasileira de Letras. Ocupou a cadeira n.º 15. Era membro da Academia Paulista de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, do Instituto de Coimbra e do Seminário de Estudos Galegos de Santiago de Compostela. Foi também advogado, jornalista e tradutor.

Guilherme de Andrade e Almeida nasceu em Campinas, São Paulo, no dia 24 de julho de 1890. Filho de Estevam de Almeida, jurista e professor de Direito, e de Angelina de Andrade cursou Direito de São Paulo, onde se formou em 1912.

Ingressou no jornalismo literário. Foi redator do jornal O Estado de São Paulo e do Diário de São Paulo. Foi diretor da Folha da Manhã e da Folha da Noite.

Peso 210 g

sugestões do alfarrabista

0
    0
    Carrinho
    Carrinho VazioRegressar à Loja