Guerrilha do Che

A Guerrilha do Che de Regis Debray

E se fosse a mesma coisa no caso da revolução boliviana? E Se a Bolívia de 1950 pudesse ser alcunhada, como a Rússia de 1905, de «prenha de duas revoluções, incapaz de engendrar a primeira, a nacional-burguesa, sem desencadear a segunda, a socialista», não há razão nenhuma para ficarmos no meio da comparação e nos abstermos de sustentar que, como na Rússia de 1905, a questão da transformação de um começo de revolução nacional -burguesa em revolução socialista-proletária, depende do lugar que será dado respectivamente ao campesinato pobre e à pequena-burguesia urbana empobrecida em relação à hegemonia proletária.

INDISPONÍVEL

informação do livro

Título: A Guerrilha do Che
Autor: Regis Debray
Edição: Assírio & Alvim
Colecção | Nº: Temas Internacionais | 1
Ano: 1975
Páginas: 142
Encadernação: Mole
Capa: Dorindo Carvalho
Tradução: José Teles

Alfarrabista

 

Assinatura de posse

E se fosse a mesma coisa no caso da revolução boliviana? E Se a Bolívia de 1950 pudesse ser alcunhada, como a Rússia de 1905, de «prenha de duas revoluções, incapaz de engendrar a primeira, a nacional-burguesa, sem desencadear a segunda, a socialista», não há razão nenhuma para ficarmos no meio da comparação e nos abstermos de sustentar que, como na Rússia de 1905, a questão da transformação de um começo de revolução nacional -burguesa em revolução socialista-proletária, depende do lugar que será dado respectivamente ao campesinato pobre e à pequena-burguesia urbana empobrecida em relação à hegemonia proletária.

Peso 101 g

sugestões do alfarrabista

0
    0
    Carrinho
    Carrinho VazioRegressar à Loja