Ceia dos Cardeais

Júlio Dantas

Indisponível

Título: A Ceia dos Cardeais
Autor: Júlio Dantas
Edição: Livraria Clássica
Ano: s.d.
Páginas: 45
Encadernação: Mole

Categoria: Etiqueta:

SOBRE
A peça em um ato, A Ceia dos cardeais, foi redigida em 1902, por Júlio Dantas, “em versos alexandrinos de rima emparelhada” (REBELLO 1970: 149), e compõe-se por pouco mais que três grandes monólogos que nos revelam as aventuras amorosas da juventude de três cardeais: o Cardeal Gonzaga de Castro, com oitenta e um anos, bispo de Albano e Camerlengo, de origem portuguesa; o Cardeal Rufo, com setenta e três anos, de origem espanhola, arcebispo de Ostia e deão do Sacro-colégio; e, por último, de proveniência gaulesa, o Cardeal Montmorency – o mais novo, com sessenta anos – bispo de Palestrina. Os três cardeais, reunidos numa luxuosa sala do Vaticano durante o papado de Bento XIV, no século XVIII, partilham uma ceia digna da riqueza do ambiente que os envolve: um faisão acompanhado de trufas, xerez e champanhe francês, tudo servido em baixelas de prata e ouro, comido em loiça de Sèvres.


SOBRE O AUTOR

Júlio DantasJúlio Dantas (1876-1962). Escritor, Jornalista, Médico, Diplomata, Político. Licenciado em Medicina pela Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, viria a desempenhar numerosos cargos oficiais e não oficiais de prestígio: comissário do Governo junto do Teatro de D. Maria II, professor e director da Secção de Arte Dramática do Conservatório, inspector superior das Bibliotecas e Arquivos, etc.  Da sua bibliografia destacam-se as obras: A Severa (1901), Pátria Portuguesa (1914), Os Galos de Apolo (1921) ou de Tribuna (1960).

 

 


OBRAS DO AUTOR


RELACIONADOS


Voltar