Publicado em

Memórias Políticas de José Relvas

Memórias Políticas de José Relvas

Memórias Políticas de José Relvas

José Relvas (5 de março de 1858 – 31 de outubro de 1929). Proprietário Rural, Político. Às 9 horas do dia 5 de Outubro de 1910, do alto da Câmara de Lisboa, proclamou urbi et orbi, o advento do novo regime: a República.
Relvas foi um dos mais excelsos paladinos da ideia republicana, à qual dialecticamente nos sentimos unidos, como socialistas que somos, já que é no Socialismo que se cumprem afinal as esperanças mais altas e mais generosas da República, isto é, o regime democrático da Justiça em Liberdade. Relvas, esquecido em proveito de alguns politiqueiros mais habilidosos e sobretudo menos austeros do que o autor destas memórias, cuja publicação agora se enceta os restantes apêndices documentais serão reunidos num segundo e último volume, quase que ignorado pelo grande público e até por alguns investigadores profissionais, sai engrandecido destas páginas que constituem, como o assinala acertadamente o honrado jornalista a quem se deve a iniciativa desta publicação, a par do importante relatório de Machado Santos, um dos depoimentos mais valiosos sobre o período que medeia entre a Revolução e a sua imediata instalação politica e institucional.
Curiosamente, José Relvas pedira que o texto das suas memórias só fossem publicadas depois de 1990 – desejo que não foi respeitado… pois a presente edição data de 1977.