Publicado em

Maria João Violante Branco

Maria João Violante BrancoMARIA JOÃO VIOLANTE BRANCO nasceu em Lisboa, a 2 de Fevereiro de 1961. Licenciou-se em História pela Universidade Livre (1983), e concluiu o seu Mestrado em História Medieval na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (1990) e doutorou-se na mesma área (2000), na Universidade Aberta, com a tese Poder real e eclesiásticos: a evolução do conceito de soberania régia e a sua relação com a praxis política de Sancho I e Afonso II.

É actualmente, desde Agosto de 2011, professora auxiliar de História Medieval na FCSH/UNL. Anteriomente, entre 1991 e 2011, foi docente, na mesma área, da Universidade Aberta. De 2001 a 2003 esteve na Universidade de Oxford, como directora do Centro de Língua Portuguesa do Instituto Camões, Supernumerary Fellow do St. John’s College e docente (lecturer & tutor) do Departamento de História dessa Universidade. Regressada à Universidade Aberta nesse ano, montou e co-coordenou o Mestrado em Estudos Medievais sobre o Poder e leccionou unidades curriculares e seminários de 1º e 2º ciclo nessa mesma universidade. Foi directora do Departamento de Ciências Humanas e Sociais dessa Universidade entre 2006 e 2008.
As suas áreas de investigação pessoal são a construção do poder real e as elites eclesiásticas ligadas ao poder político, as relações entre o Papado e Portugal até meados do século XIII, a criação de identidades e processos de institucionalização de poderes.

É académica correspondente da Academia Portuguesa da História, membro da Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais, da qual é vogal fiscal, e foi membro fundador. Pertence ainda, como membro integrado, ao Instituto de Estudos Medievais, da FCSH da Universidade Nova, do qual é presidente, desde Maio de 2016, e ao Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica, onde é membro colaborador desde 2010, tendo sido, até essa data, membro Integrado do CEHR.

Coordena, desde Janeiro de 2015, o projecto «Testemunho, Memória e Identidade: os Annales Portugalenses Veteres e a construção da mais antiga tradição historiográfica do território portucalense», financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Entre as suas publicações contam-se D. Sancho I, o Filho do Fundador (Lisboa: Círculo de Leitores, 2006) e os artigos ”The Nobility of Medieval Portugal (XI-XIV centuries): A General Overview,” in Anne Duggan (ed.), Nobles and Nobility in Medieval Europe. Concepts, Origins, Transformations (London: Boydell and Brewer, 2000) e ”The King’s Councellors’ Two Faces: A Portuguese Perspective,”in Peter Linehan and Janet Nelson (eds.), The Medieval World (London and New York: Routledge, 2001).

in Goodreads