Publicado em

Aurélio de Lira Tavares

Aurélio de Lira Tavares (João Pessoa, 7 de novembro de 1905 — Rio de Janeiro, 18 de novembro de 1998) foi um general de exército brasileiro, membro da junta provisória que governou o Brasil durante sessenta dias, de 31 de agosto a 30 de outubro de 1969, durante a ditadura militar que se seguiu ao golpe de estado de 1964.
Aluno da Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro, formou-se também em direito e em engenharia. Foi Comandante da Escola Superior de Guerra, entre 28 de setembro de 1966 e 13 de março de 1967. Em seguida, foi ministro do Exército no governo Costa e Silva. Com o afastamento do presidente da República por motivos de saúde, Lira Tavares integrou um triunvirato formado também pelo almirante Augusto Rademaker e pelo brigadeiro Márcio de Sousa Melo, tendo governado o país até que o general Emílio Garrastazu Médici fosse escolhido Presidente da República.
Foi membro da Academia Brasileira de Letras, eleito em abril de 1970. Em suas poesias usava o pseudônimo de Adelita, que era composto pelas iniciais de seu nome. Depois de compor a junta militar, foi embaixador do Brasil em Paris, de 1970 a 1974.
Foi ainda o autor da letra da “Canção da Engenharia” do Exército Brasileiro.
Em 3 de fevereiro de 1965 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique e a 26 de fevereiro de 1971 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis de Portugal.
Morreu no Rio de Janeiro, em 18 de novembro de 1998, aos 93 anos de idade