Publicado em

David Soares

David SoaresEscritor e ensaísta, David Soares foi galardoado com dois troféus para Melhor Argumentista Nacional pelos seus álbuns de banda desenhada. Autor publicado em França (Frémok), os seus trabalhos mais recentes são os livros Os Ossos do Arco-Íris (Saída de Emergência) e As Trevas Fantásticas (Polvo). Participou em diversas antologias relacionadas com a literatura fantástica, como A Sombra Sobre Lisboa (Saída de Emergência), Ficções Científicas & Fantásticas (Chimpanzé Intelectual) e o livro O Homem Que Desenhava na Cabeça dos Outros, de Pedro Zamith (Oficina do Livro)

Publicado em

Michel Foucault

Michel Foucault (Poitiers, 15 de outubro de 1926 — Paris, 25 de junho de 1984) foi um filósofo, historiador das ideias, teórico social, filólogo, crítico literário e professor da cátedra História dos Sistemas do Pensamento, no célebre Collège de France, de 1970 até 1984 (ano da sua morte). As suas teorias abordam a relação entre poder e conhecimento e como eles são usados como uma forma de controlo social por meio de instituições sociais. Embora muitas vezes seja citado como um pós-estruturalista e pós-modernista, Foucault acabou por rejeitar esses rótulos, preferindo classificar o seu pensamento como uma história crítica da modernidade. O seu pensamento foi muito influente tanto para grupos académicos, quanto para ativistas.

Publicado em

Antonio Salas

António SalasAntonio Salas é o pseudónimo de um conhecido jornalista de investigação, cujo anonimato tem que ser mantido por motivos óbvios. Recebeu numerosas ameaças de morte por ter conseguido infiltrar-se, durante quase um ano, num movimento neonazi. Nos últimos vinte anos, para além de ter publicado vários livros de investigação, desenvolveu a sua actividade profissional em jornais, revistas, estações de rádio e televisão em Espanha, como é o caso da Onda Cero, da Antena 3 e da Tele 5. Autor de várias reportagens de investigação, filmadas com câmara oculta, emitidas pela Tele 5 desde o ano 2000, foi o único jornalista que até hoje se conseguiu infiltrar em perigosas seitas, grupos de crime organizado e movimentos extremistas. Estas gravações foram admitidas em julgado em vários casos de polícia em Espanha

Publicado em

Pedro Chagas Freitas

Pedro Chagas FreitasPedro Chagas Freitas escreve cenas variadas. Romances, novelas, contos, crónicas, guiões, letras de música, textos publicitários e outras imbecilidades. Publicou mais de duas dezenas de obras. Está na lista dos mais vendidos de 2014 em Portugal. Estudou linguística e criou jogos didácticos para estimular a produção escrita. Foi nadador-salvador, barman, operário fabril, porteiro de discoteca, jogador de futebol. Acredita que o país perfeito é a Lamechalândia. E vive por lá todos os dias.
Está publicado em mais de uma dezena de países e é um dos autores mais vendidos em Portugal, em Itália e no Brasil.
Não aprecia más-pessoas e tende a não conseguir cumprimentá-las.
Faz tudo o que pode para fazer o que lhe apetece.

Publicado em

Fernando Assis Pacheco

Fernando Assis PachecoPoeta, ficcionista e crítico literário, licenciado em Filologia Germânica pela Universidade de Coimbra, onde, ainda estudante, participou em atividades teatrais, Fernando Assis Pacheco dedicou-se ao jornalismo, como colaborador de África, Bandarra, Cabo Verde, Caliban, Diário de Lisboa, Fenda, Nova, O Jornal, Sílex ou Vértice e coordenador do Jornal de Letras, Artes e Ideias, desenvolvendo ainda a atividade de tradutor (traduziu, entre outros, Gabriel Garcia Márquez e Pablo Neruda). A sua poesia, marcada, nos primeiros volumes, pela experiência traumatizante da guerra colonial, insere-se numa tendência realista, onde a denúncia social acolhe as inovações do experimentalismo e da pesquisa linguística.

Publicado em

Rainer Daehnhardt

Rainer DaehnhardtRainer Daehnhardt é um reconhecido pesquisador, nascido a 7 de Dezembro de 1941 e é descendente de uma família de diplomatas e militares alemães radicados em Portugal desde 1706. Estudou na Alemanha e em Portugal, especializando-se no “estudo da evolução do Homem através da arma e sua utilização”. Presidente da Sociedade Portuguesa de Armas Antigas – Portuguese Academy of Antique Arms – desde 1972, representa Portugal em congressos internacionais. É membro da Rowland Society, da Gesellschaft für Historische Waffen und Kostümkunde de Berlim e da Arms and Armour Society de Londres. É membro honorário da ASAC (American Society of Arms Collectors), entidade máxima americana do género que em 25 anos de existência elegeu o autor como 3º membro honorário estrangeiro. Participou em dezenas de congressos internacionais de historiadores de armas antigas. Foi convidado por entidades governamentais norte-americanas para fazer uma série de conferências sobre a evolução da armaria, em diversos estados americanos, tendo discursado por exemplo no Smithsonian Institute de Washington, no Metropolitan Museum, Harvard, Nova Iorque e Arizona Historical Society, Texas e Califórnia. É autor de dezenas de livros e centenas de artigos, na sua maioria ligados à armaria antiga, à História de Portugal ou à sua preocupação com a evolução da Humanidade. Na Zéfiro publicou as obras Portugal Cristianíssimo – A Missão Templária nos Descobrimentos, Homens, Espadas e Tomates e foi co-autor de O Perdão dos Templários, Codex Templi e Portugal – A Missão Que Falta Cumprir.

Publicado em

João Paulo Oliveira e Costa

João Paulo Oliveira e Costa, nascido em 1962, é doutor em História e Professor Catedrático da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. É Diretor do Centro de História de Além-Mar (CHAM) e membro da Direção do Centro de Estudos de Povos e Culturas de Expressão Portuguesa da Universidade Católica Portuguesa. Foi um dos coordenadores científicos das Biografias dos Reis de Portugal e autor de D. Manuel I, publicado nesta coleção. Iniciou-se na escrita de ficção com o romance O Império dos Pardais(2008), a que se seguiu O Fio do Tempo (2011).

Publicado em

U2

BIOGRAFIA

U2 é uma banda irlandesa de rock formada no ano de 1976. O grupo é composto por Bono (vocal e guitarra), The Edge (guitarra, teclado e backing vocal), Adam Clayton (baixo) e Larry Mullen Jr. (bateria e percussão). Inicialmente, as suas músicas possuiam influências no género pós-punk, porém, eventualmente foram incorporando estilos mais genéricos. Ao longo das mudanças do grupo, mantiveram sempre som construído sobre instrumentos melódicos, com destaque para as texturas e acordes do guitarrista de The Edge e dos vocais expressivos de Bono.

Publicado em

Luís Adão da Fonseca

Luís Adão da FonsecaPossui doutorado em História pela Universidade de Navarra (1975). Professor catedrático da Universidade do Porto (1984-2006). Professor da Universidade de Navarra (1975-1981) e profesor convidado da École des Hautes Études en Sciences Sociales, Paris (1991), Universidade de São Paulo (1997) e Johns Hopkins University, Baltimore (1998). Presidente do Conselho Científico do CEPESE – Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade (desde 2007). Membro do “Standing Comittee for the Humanities” da EUROPEAN SCIENCE FOUNDATION, Estrasburgo (2002-2008). Vice-Reitor da Universidade Lusíada do Porto (2004-2011). Tem experiência na investigação na área de História, com ênfase em História Medieval, e na gestão/avaliação internacional no domínio das Humanidades.

Publicado em

Padre António Vieira

Padre António VieiraNotável prosador e o mais conhecido orador religioso português, o Padre António Vieira nasceu em 1608, em Lisboa, filho primogénito de um modesto casal burguês, e faleceu na Baía em 1697. Quando tinha apenas seis anos, os seus pais mudaram-se para a Baía, no Brasil, tendo aí iniciado os seus estudos. Os jesuítas tinham sido desde sempre os portadores da cultura e civilização no Brasil, com relevo especial para os Padres José de Anchieta e Manuel de Nóbrega. Em 1681, na Baía, onde se entregou ao trabalho de compor e editar os seus Sermões. A sua prosa é vista como um modelo de estilo vigoroso e lógico, onde a construção frásica ultrapassa o mero virtuosismo barroco. A sua riqueza e propriedade verbais, os paradoxos e os efeitos persuasivos que ainda hoje exercem influência no leitor, a sedução dos seus raciocínios, o tom por vezes combativo, e ainda certas subtilezas irónicas, tornaram a arte de Vieira admirável. As obras Sermões, Cartas e História do Futuro ficam como testemunho dessa arte. Padre António Vieira. In Infopédia