Todo o Amor é Amor de Perdição

10,00 

Título: Todo o Amor é Amor de Perdição
Autor: Luiz Francisco Rebello
Edição: Dom Quixote
Ano: 1994
Páginas: 117
Encadernação: Mole
Capa: Catarina Rebello
Depósito Legal: 69056/93
ISBN: 972-20-1150-2
Obs.: Com dedicatória do autor. 1ª Edição.

 

Baseado em documentos autênticos, este teledrama não tem a pretensão de ser a reconstituição exacta e rigorosa do segmento da vidade de Camilo preenchido pelos onze anos que decorreram entre o conhecimento de Ana Augusta Plácido e o desfecho do julgamento a que ambos foram submetidos pelo crime de adultério e que rematou pela absolvição. Daí que o seu autor não haja hesitado em recorrer à intertextualiade nem em suprir com imaginação as lacunas existentes na sequência cronológica dos factos aqui recriados, louvando-se para tantao na sábia advertência de Garrett de que “nem o drama, nem o romance, nem a epopeia, são possíveis se os quiserem fazer com a Arte de verificar as datas na mão.”


SOBRE O AUTOR

Nome cimeiro da cultura portuguesa, Luiz Francisco Rebello é autor de uma notável obra de dramaturgia e investigação teatral. Publicou várias peças de teatro, com destaque para Condenados à Vida e Todo o Amor é Amor de Perdição, galardoadas com o Grande Prémio da Sociedade (hoje Associação) Portuguesa de Escritores. É autor de notáveis trabalhos sobre o teatro, de que merece especial referência a História do Teatro Português. De grande valor é também a sua actividade como jurista. Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, é professor no Instituto Jurídico da Comunicação da Faculdade de Direito de Coimbra e na Universidade Internacional de Lisboa. É autor de numerosa bibliografia sobre a temática dos Direitos de Autor, de que se destacam Protecção Jurídica dos Programas de Computador e Introdução ao Direito de Autor. Foi presidente da Sociedade Portuguesa de Autores desde 1973, presidindo igualmente ao Conselho de Autores Dramáticos, Literários e Audiovisuais da Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores. Teve intervenção activa na elaboração do Código do Direito de Autor, circunstância que reforça a qualidade dos comentários com que enriquece a presente obra.