Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna

25,00 

Título: Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna
Autor: Pere Ferré
Edição: Fundação Calouste Gulbenkian
Ano: 2000
Encadernação: Dura
Título Completo: Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna – Versões Publicadas entre 1828 e 1960
Depósito Legal: 148994/00
ISBN: 972-31-0882-8
Obs.: 3 vols.

 

SINOPSE:
O Romanceiro, recolhido na tradição oral moderna portuguesa desde os anos vinte do século XIX até ao presente, tem as suas raízes na Idade Média. Pese embora as diversas opiniões formuladas pela crítica sobre as suas origens, o carácter medieval deste género é, sem dúvida alguma, um dos seus poucos traços indiscutíveis.
Desde os primeiros esboços críticos modernos, divulgados por pré-românticos e românticos, até ao presente, o Romanceiro tem sido encarado como um dos géneros nascidos durante a Iade Média e transmitido, ora pela letra, ora pela voz, ou mesmo por ambas, até hoje.
Compartilha com poemas épicos medievais elementos da sua estrutura e, nalguns casos até, dos seus temas. Das baladas europeias, também medievais, toma o estilo mais lírico bem como, através de profunda readaptação, algumas das suas fábulas. Mas de ambos, e no fundo da época, retira o seu carácter memorial, modo específico de conservação de grande parte da poesia medieval.
Assim, se difícil é datar, com precisão, os primeiros romances, não oferece qualquer dúvida que este género poético já proliferava no primeiro quartel do século XV, vivendo, a partir daí, ininterruptamente, até aos nossos dias.


SOBRE O AUTOR

Pere Ferré é licenciado em Literatura pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (1978) e Doutorado em Literaturas Românicas pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (1987), onde se agregou em 1996. Exerceu a docência nas universidades de Lisboa e Nova de Lisboa bem como, no estrangeiro, nas universidades de Utrecht, Colónia e na École des Hautes Études de Paris, sendo, desde 2000, Professor Catedrático da Universidade do Algarve. Foi o fundador do Instituto de Estudos sobre o Romanceiro (Universidade Nova de Lisboa).

Tem dedicado a sua atividade científica – publicada em Portugal e no estrangeiro (Espanha, Itália, França, Holanda, Estados Unidos, Brasil, etc) – ao romanceiro da tradição oral moderna, ao romanceiro antigo e à literatura espanhola e portuguesa. É atualmente membro do Centro de Investigação em Artes e Comunicação (Universidade do Algarve) e desenvolve também investigação em centros estrangeiros como o Instituto Seminario Menéndez Pidal (Universidad Complutense de Madrid). Fruto destes trabalhos, iniciados há já mais de 30 anos, editou, entre outras obras, a primeira descrição de um corpus baladístico nacional (Bibliografia do Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna, Madrid, 2000), bem como os primeiros quatro volumes do Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna. Versões publicadas entre 1828 e 1960, dados à estampa pela Fundação Calouste Gulbenkian, desde 2000. Ainda sob a sua direção, foi criado este Arquivo do Romanceiro Português.