Publicado em

Marie de Hennezel

Marie de Hennezel nasceu em 1946, é casada e mãe de três filhos. Estudou Psicologia Clínica e Psicanálise Jungiana, tendo iniciado a vida profissional no acompanhamento a mulheres emocionalmente perturbadas, designadamente casos de psicose avançada.
Trabalha, desde 1987, na primeira Unidade de Cuidados Paliativos para doentes terminais (cancro e sida), em Paris. Pratica a haptonomia, a ciência de curar pela afectividade, defendendo a necessidade do contacto físico com os doentes. Fundou, em 1990, a Associação Bernard Dutant – Sida, em memória de um amigo que faleceu com essa doença.
Além de Morrer de Olhos Abertos, que contou com a colaboração de Nadège Amar, merecem ainda referência Diálogo com a Morte, A Arte de Morrer e Nós não nos Despedimos, obras onde se relata a importante experiência de quem assistiu, profissionalmente, a largas centenas de mortes e onde tentou «equilibrar o tratamento médico com uma dimensão humana de comunicação com o doente». Na certeza de que «mesmo quando existe a recusa da morte há pelo menos um momento em que conseguimos uma espécie de paz no abandono de nós mesmos». Todos os livros referenciados se encontram editados (e reeditados) em Portugal, pela Casa das Letras