Publicado em

Julia Leitao de Barros

Doutorada em História, pela NOVA FCSH, em 2014, com a tese “O Jornalismo Político Republicano Radical. O Mundo (1900-1907)“, orientada por Fernando Rosas; Mestre em História Contemporânea, pela NOVA FCSH, em 1994, com a tese “A luta pelo controlo da opinião pública, durante a II Guerra Mundial, em Portugal“, orientada por José Medeiros Ferreira. Nas suas publicações destacam-se: Os Nights Clubs de Lisboa nos anos 20, Lucifer, Lisboa, 1990; em Coautoria com Fernando Rosas e Pedro Oliveira, Cartas de Armindo Monteiro a Salazar, Editorial Estampa, Lisboa, 1996; “ O Cerco ideológico do Estado Novo na imprensa de província, Caleidoscópio, Revista de Comunicação e Cultura, nº5 e 6, 2004/ 2005, pp. 265 – 300; “O Jornalismo político d’O Século e do Diário de Notícias”, Comunicação Pública, vol.10, nº17, 2015, [formato digital]; “Redações abertas: fontes informativas e terreno de implantação dos jornais políticos” in Espaços, Redes e Sociabilidades, Cultura Política no associativismo contemporâneo, coord. Joana Dias Pereira, Maria Alice Samara, Paula Godinho, IHC, FCSH, Lisboa, 2016 [formato digital];“O cerco da guerra: diplomacia e política de informação do Estado Novo (1940-42)” in Salazar, O Estado Novo e os Media, Censura, Propaganda e Resistência, coord. José Luís Garcia, edições 70, Lisboa, 2017, pp.127-148. É coordenadora da Secção Estudos Media e Jornalismo, da Escola Superior de Comunicação Social, do Instituto Politécnico de Lisboa, desde 2014.