Publicado em

José Queirós

José Queirós (Lisboa/13.07.1856 – 31.07.1920) foi um pintor discípulo de Columbano e de Malhoa. Foi também um dos fundadores do Grémio Artístico que viria a originar a Sociedade Nacional das Belas Artes, membro da Sociedade Promotoras de Belas Artes em Portugal (1873 a 1887) e da secção de Arqueologia lisbonense da Associação de Arqueólogos Portugueses, a que presidiu de 1912 a 1920 e ainda, conservador do Museu Nacional da Arte Antiga em 1911. Outra faceta de José Queirós revelou-se como coleccionador e estudioso de cerâmica e azulejaria, tendo com a sua Cerâmica Portuguesa (1907), onde inventariou a cerâmica artística portuguesa, abrangendo cerca de oito mil peças, sido o pioneiro dos estudos sobre cerâmica portuguesa. Refira-se ainda que foi com ele que em Maio de 1911 foi aberta a sala de Cerâmica e Vidros do Museu de Arte Antiga e que a sua actuação também permitiu que se restabelecesse a velha indústria dos tapetes de Arraiolos, em risco de perder-se.